FMI cobra 'reformas urgentes' na economia

A tensão em torno da situação econômica da Espanha ganhou ingrediente novo ontem. Em relatório, o Fundo Monetário Internacional (FMI) pediu ao governo que realize "reformas urgentes" para flexibilizar o mercado de trabalho, equilibrar o orçamento e estabilizar o sistema bancário.

, O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2010 | 00h00

Os especialistas do Fundo pregam como primeira prioridade a reforma do mercado de trabalho - rejeitada pelos sindicatos do país. As mudanças seriam necessárias para "tornar o mercado mais flexível, para facilitar o emprego e sua redistribuição entre os setores" da economia.

Em sua análise, o FMI prega também que o país precisa de um programa de saneamento das contas públicas, mesmo que um plano de austeridade de ? 15 bilhões já tenha sido enviado ao Congresso na semana passada.

Para o FMI, o país deve ainda passar "por uma consolidação do setor bancário e uma reforma para reforçar a saúde do sistema", pois "o risco permanece elevado e repartido de forma desigual entre instituições", / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.