finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

FMI: crise pode reduzir crescimento mundial ligeiramente

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo de Rato, afirmou hoje que a crise nos mercados financeiros internacionais poderá reduzir ligeiramente a projeção de crescimento da economia mundial feita pela instituição para este ano. O Fundo estima que o Produto Interno Bruto (PIB) global deverá registrar uma expansão de 5% em 2007 e 2008. Rato destacou que, apesar da turbulência financeira, as economias internacionais registrarão em 2007 o sexto ano consecutivo de expansão. "E, pela primeira vez, o crescimento será liderado por uma economia emergente, no caso a China", disse em entrevista hoje, em São Paulo. O diretor do FMI afirmou que ainda é cedo para avaliar se o pior momento da volatilidade dos ativos já passou. "O mercado se comportou de forma moderada nos últimos dois dias, mas temos que continuar vigilantes", observou. Rato considerou acertada a decisão dos bancos centrais internacionais de garantir a liquidez no sistema financeiro durante os momentos mais delicados da crise. "Os BCs atuaram de maneira decisiva e reforçaram sua credibilidade", acrescentou. O diretor do FMI rebateu o argumento de que a sofisticação dos instrumentos do mercado financeiro nos últimos anos tenha sido um dos fatores que motivaram a crise. "Seria difícil explicar o crescimento mundial recente se não houvessem as inovações financeiras", destacou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.