FMI deve congelar dinheiro a Turquia, diz FT

O FMI vai confirmar amanhã que não emprestará fundos para a Turquia até que o novo governo, a ser eleito em 3 de novembro, demonstre que irá cumprir o atual programa de estabilização de US$ 16 bilhões, informa o site do Financial Times. Pela manhã, o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), que lidera as pesquisas para a eleição parlamentar de novembro, sinalizou que a politica monetária apertada acertada com o FMI restringe o crescimento do país e que o programa deverá ser renegociado quando a estabilidade for assegurada. O vice-presidente da AKP, Abdullah Gul, disse que um eventual governo liderado por seu partido levará a uma redução da taxa de juro real e uma aceleração do crescimento num ritmo mais rápido. "É óbvio que a política monetária apertada restringe o crescimento. Nós acreditamos que negociações com o FMI levarão à uma redução da meta de superávit primário para um nível menor que os atuais 6,5% do PIB", disse.

Agencia Estado,

14 de outubro de 2002 | 20h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.