carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

FMI deve reduzir projeção de expansão em 2008

Revisões serão profundas para os EUA e menos dramáticas para a Europa e países em desenvolvimento

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

06 de setembro de 2007 | 12h39

O Fundo Monetário Internacional (FMI) deve revisar para baixo suas projeções para o crescimento global em 2008, em conseqüência dos problemas de crédito nos Estados Unidos, disse o diretor de Relações Internacionais do FMI, Masood Ahmed. "O processo ainda está em andamento e é um pouco cedo para que divulguemos uma avaliação definitiva sobre o impacto da turbulência dos mercados financeiros", disse. "Nós certamente podemos dizer que haverá revisão em baixa de nossas projeções de crescimento, com maior probabilidade de que ocorram no ano que vem", completou.   Veja também:Cronologia da crise financeira As revisões serão mais profundas para a economia dos EUA e menos dramáticas para a Europa e países em desenvolvimento grandes. Apenas seis semana atrás, o principal economista do FMI, Charles Collyns, disse que o crescimento da demanda na Índia, na China e em outros países em desenvolvimento levou o FMI a elevar suas projeções para a produção global. Na ocasião, o FMI reduziu apenas levemente sua projeção para o crescimento dos EUA para 2% este ano e para 2,8% em 2008, dizendo que a pressão causada pela desaceleração do setor imobiliário sobre a atividade econômica estava diminuindo. Ahmed disse que a atividade econômica global permanece saudável e que a turbulência recente segue-se a um período extremamente longo e incomum de condições financeiras favoráveis. Muitos dos mercados emergentes continuam a crescer rapidamente e apenas alguns poucos países - aqueles que se apoiaram no empréstimo externo e no crescimento excessivo do crédito para alimentar a demanda - serão atingidos pela instabilidade dos mercados financeiros, disse. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.