coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

FMI diz que aprovação de saque é mera formalidade

O representante do FMI no Brasil, Rogério Zandanela, disse que será aprovada na semana que vem pela diretoria do fundo a decisão do Brasil de desembolsar os US$ 10 bilhões, já previamente negociados. "O fundo apóia sem hesitação e sem dúvida", disse Zandanela. Ele afirmou também que a aprovação pela diretoria do fundo, neste caso, será uma mera formalização e contou que o FMI está encerrando um trabalho de avaliação do sistema financeiro brasileiro, que já tem conclusões preliminares de que o sistema é muito sólido e muito líquido. Ele elogiou ainda o aumento do superávit primário para este ano de 3,5% para 3,75% do PIB, conforme anunciado ontem. Zandanela é o palestrante de um seminário no Banco Central, no Rio de Janeiro.Zandamela disse também que o Brasil tem dois problemas persistentes: a deterioração das contas externas e o perfil da dívida do setor público. "O tamanho da dívida em relação ao PIB não chama a atenção e é semelhante ao de muitos países, mas o problema está no perfil da dívida, e que vem se deteriorando", afirmou. Ele observou que hoje apenas 10% da dívida está em títulos pré fixados. Cerca de 60% variam de acordo com a Selic/Over e uma parte, cerca de 30%, é indexada ao câmbio, o que ele considera uma parcela muito alta. Zandamela observou que em todas as crises, desde a crise do México em 94, o Brasil tem respondido aumentando as taxas de juros, o que aumenta toda a parte da dívida que varia pela Selic. E com o câmbio flutuante a alta do dólar também aumenta a dívida pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.