FMI diz que Brasil está forte para evitar turbulência

O representante do FMI (Fundo Monetário Internacional) no Brasil, Max Alier, afirmou nesta quarta-feira que o Brasil está forte para enfrentar as turbulências no mercado internacional. "Lógico. Vejam as reservas, elas estão muito fortes", disse Alier, respondendo a uma pergunta sobre o assunto após a reunião de integrantes de missão do FMI com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.Alier foi o único membro da missão a falar, rapidamente, com jornalistas. Segundo ele, a visita a Mantega foi uma cortesia. Mas o representante do Brasil no FMI, Eduardo Loyo, afirmou que a vinda da missão do FMI é preparatória do encontro que, segundo ele, ocorrerá em maio, entre técnicos do Fundo e autoridades econômicas brasileiras, durante o qual será feita a avaliação anual das condições da economia do Brasil, prevista no artigo 4º da Constituição do FMI. O economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Paulo Nogueira Batista Júnior, indicado pelo governo para representar o Brasil junto ao Fundo, foi cauteloso, ao ser abordado por jornalistas à saída da audiência do ministro da Fazenda. Ele evitou dar entrevista após a reunião com o ministro.A única informação que Nogueira Batista transmitiu à imprensa foi a de que, durante a audiência, o ministro Mantega comunicou oficialmente à missão do FMI a indicação dele, Nogueira Batista, para substituir o atual representante do Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.