FMI diz que risco cresce nos mercados emergentes

Emergentes estariam em posição ' forte', mas serão testados pela crise mundial

Da BBC Brasil, BBC

28 de julho de 2008 | 11h42

Um relatório divulgado nesta segunda-feira pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) afirma que o risco está crescendo nos mercados emergentes, devido à atual crise mundial de crédito. No Relatório sobre Estabilidade Financeira Global, o FMI diz que os mercados emergentes continuam "relativamente fortes", apesar do período de turbulência na economia internacional.   Veja também: Entenda os efeitos da crise nos Estados Unidos Cronologia da crise financeira FMI mantém cálculo de US$ 1 tri de perdas com a crise"Esta força será testada, primeiro por causa da situação nos mercados financeiros - com condições financeiras mais restritas - e em segundo lugar por causa das pressões inflacionárias, que no caso dos mercados emergentes é importante", disse o diretor do departamento de mercados monetário e de capitais do FMI, Jaime Caruana. Na seção do documento intitulada "Risco crescendo nos mercados emergentes", o FMI alerta que "alguns mercados emergentes estão passando por um crescente escrutínio, especialmente em relação às suas políticas para combater o aumento da inflação". O relatório destaca que a saída de capital de fundos de equity está concentrada nos mercados asiáticos, onde as preocupações com inflação e desaquecimento da economia são maiores. O FMI também afirma que, com o aumento do preço internacional de commodities, o "apetite por risco" diminui, afetando os mercados emergentes. Sobre a economia mundial, o FMI afirma que não há sinais de que a atual a crise global de crédito está acabando. Segundo a entidade, a queda no preço dos imóveis e a diminuição do crescimento econômico estão afetando o crédito. Os bancos continuam sob pressão e mais cortes em empréstimos bancários poderiam reduzir ainda mais o crescimento da economia. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.