bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

FMI diz que yuan está 'moderadamente desvalorizado'

O vice-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), David Lipton, disse que o yuan chinês está "moderadamente desvalorizado" ante um conjunto de moedas, uma frase que o FMI já havia usado no passado.

AE, Agencia Estado

29 de maio de 2013 | 00h49

Falando a repórteres em Pequim, Lipton acrescentou que a China tem espaço para manter a estabilidade, "mesmo em face de choques econômicos adversos, mas as margens de segurança estão diminuindo".

Ele também afirmou que o FMI prevê uma "dívida ampliada do governo", ou a dívida que inclui empréstimos de governos locais da China, em 50% do PIB chinês em 2012.

De acordo com a autoridade, o FMI reduziu a previsão de crescimento da economia chinesa para 7,75% nos anos de 2013 e 2014. Anteriormente, a taxa era de 8% para 2013 e 8,2% para 2014. A entidade também projeta inflação de 3,5% este ano, além de um superávit em conta corrente equivalente a 2,5% do PIB.

Lipton disse que as políticas de flexibilização monetária do Japão geraram algum desconforto em outros países. Segundo ele, estas nações temem que a criação de liquidez no Japão poderia gerar liquidez em outros lugares. Mas Lipton acrescentou que o FMI não vê problemas significativos em relação a isso até o momento.

A taxa de câmbio do Japão caiu e isso tem criado problemas para os concorrentes comerciais, mas o FMI não vê esse processo como um problema para a China agora, afirmou. As informações são da Dow Jones e da Market News International.

Tudo o que sabemos sobre:
chinafmipibyuan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.