FMI e Bird devem encorajar comércio, diz Paulson

O secretário do Tesouro dos EUA, Henry Paulson, disse que o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial (Bird) devem encorajar os governos a continuar abertos ao comércio e ao investimento. "Embora nós nos EUA estejamos tomando muitas medidas extraordinárias para combater a crise, não estamos perseguindo políticas que limitem os fluxos de bens, serviços ou capital, porque medidas como essas apenas intensificariam os riscos de crise prolongada". Paulson pediu que o FMI e o Bird ajudem os países em desenvolvimento a lidar com os efeitos da crise financeira, que, segundo alertou, terá "importantes ramificações" para os mercados emergentes e pobres. "Esses eventos irão testar a capacidade do Bird e do FMI de responder efetivamente, e é fundamental que eles estejam prontos para utilizar seus recursos para mitigar o impacto dessa crise, especialmente sobre os mais pobres e mais vulneráveis", disse Paulson em comunicado ao comitê de desenvolvimento das duas instituições. Paulson elogiou o papel recente do Bird de coordenar a resposta internacional para ajudar os países a lidar com o aumento dos preços dos alimentos e combustíveis. "Agora, esses mesmos países deverão enfrentar uma série de novas pressões provenientes do declínio da demanda por suas exportações e do investimento privado", disse ele. "Os mercados emergentes, também, deverão enfrentar dificuldade para acessar o capital privado necessário para financiar suas prioridades críticas, como a infra-estrutura." As informações são da Dow Jones.

MARCÍLIO SOUZA, Agencia Estado

12 Outubro 2008 | 19h33

Mais conteúdo sobre:
FMI Bird Paulson

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.