Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

FMI e Irã falam de necessidade de combater a inflação

O Fundo Monetário Internacional (FMI) comunicou nesta segunda-feira que manteve discussões de alto nível com as autoridades do Irã sobre a necessidade de combater a inflação e de realizar reformar para estabelecer o crescimento da economia do país.

AE, Agencia Estado

12 de novembro de 2013 | 04h29

Segundo o FMI, a economia iraniana - que foi prejudicada pelas sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) em função do seu programa nuclear - enfrenta desafios domésticos e o novo governo está ciente da necessidade de reformas.

Na quinta-feira, após dez dias de debate, fico determinado que o Irã precisa combater a alta inflação e restaurar o crescimento econômico. Além disso, "o Irã precisa abordar a política de longo prazo e os desafios estruturais da economia", informou o fundo em comunicado.

Esses desafios incluem a reforma dos subsídios, dos setores empresariais e monetários e da estrutura da política fiscal.

Os últimos dados oficiais indicam que a inflação iraniana sobe 39%. O ministro da Economia, Ali Tayyebnia, advertiu que o número de desempregados em agosto estava em 3,5 milhões, ou 11,2% da força de trabalho. O ministro afirmou que esse número pode aumentar já que um grande número de jovens está prestes a ingressar no mercado de trabalho.

O FMI disse que vai realizar uma revisão formal da economia do Irã no início de 2014, a primeira revisão em dois anos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
irãfmiinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.