FMI elogia medidas econômicas de Chávez

A decisão da Venezuela de permitir a livre flutuação do bolívar foi um passo positivo, diz o Fundo Monetário Internacional (FMI). Citando uma "nova realidade econômica", o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, anunciou nesta terça-feira à noite o fim do sistema de banda cambial.Chávez também anunciou aumento dos impostos e corte de 7% nos gastos para cobrir a estimativa de queda de receita do governo. "Certamente, acreditamos que as medidas vão na direção certa", disse o porta-voz do FMI Thomas Dawson.Ele acrescentou que o Fundo continuará a avaliar as medidas, adotadas depois de uma forte queda do bolívar e dos instrumentos da dívida da Venezuela nas recentes semanas. "Permanecemos prontos para proporcionar qualquer aconselhamento que eles precisem", disse Dawson.O presidente da Venezuela tem mantido relações distantes com o FMI desde que foi eleito em 1998. Um grande fluxo de entrada de dólares proporcionado pelas exportações de petróleo - que representam cerca de 50% da receita do governo - ajudou o governo venezuelano a manter um saudável balanço de pagamentos superavitário nos últimos anos.Contudo, esse superávit caiu nos meses recentes, por causa da queda dos preços internacionais do petróleo, em consequência do excesso de oferta e queda na demanda com a desaceleração da economia global.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.