FMI está mais confiante no crescimento sustentado do Brasil

O diretor do Departamento de Hemisfério Ocidental do Fundo Monetário Internacional (FMI), Anoop Singh, disse estar muito mais confiante hoje com a capacidade de o Brasil manter um crescimento sustentado da sua economia a médio e longo prazos do que há cinco anos. Ele também destacou a mudança estrutural registrada pelas exportações brasileiras como outro fator que lhe dá mais confiança em relação à capacidade do Brasil de manter um crescimento sustentado por vários anos. Ele afirmou que considera essas mudanças um indicador de uma reforma na estrutura da economia como um todo. "Isso me dá mais otimismo para acreditar que estamos no início de uma tendência ampla de maior participação do comércio, abertura e crescimento no Brasil", concluiu.Sem pessimismoO diretor-adjunto do Hemisfério Ocidental do FMI, Charles Collyns, disse que não há razões para ser pessimista em relação ao cenário de curto prazo no Brasil, porém admitiu que a inflação subiu nos últimos meses, mas ressaltou que tal aumento da inflação foi devido em sua maior parte a choques de oferta.Collyns também enfatizou que o Brasil fez grandes progressos nas reformas estruturais neste ano. "É preciso fazer mais, como o próprio governo reconheceu", disse.América LatinaSingh está surpreso com o crescimento econômico na América Latina neste ano. "O ritmo da recuperação da atividade econômica na região superou as nossas expectativas", disse Singh. Ele estima um crescimento de 4,5% do PIB da América Latina em 2005, cerca de 0,5 ponto percentual acima do que havia estimado em abril passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.