carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

FMI está otimista com economia brasileira

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está confiante de que o governo poderá adotar uma política social e, ao mesmo tempo, atingir a meta de 4,25% no superávit primário. A avaliação é do diretor do FMI, Horst Koehler, que está em Genebra para reuniões na Organização Mundial do Comércio (OMC). "A agenda de Lula, de ter crescimento com igualdade social, é alcançável se houver um clima que dê aos investidores um sentimento de que podem ir lá fazer negócios", afirmou Koehler, que lembra que investimentos ajudarão a criar empregos.Sobre a eventual tradução da euforia no mercado financeiro para a economia real, Koehler garante: "Os brasileiros precisam ter confiança e estou seguro que essa confiança vai ser recompensada em mais empregos". Koehler ainda afirmou que "sempre é um problema o fato de que pessoas ficam corretamente impacientes. Muita gente pobre somente quer ter mais o que comer, mais empregos, ter uma casa. Há uma tensão entre as expectativas e em que velocidade a situação irá visivelmente contribuir para o nível de vida da população".

Agencia Estado,

13 de maio de 2003 | 09h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.