finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

FMI fará "tudo que puder" para ajudar o Brasil

O diretor do Departamento para o Hemisfério Ocidental do Fundo Monetário Internacional (FMI), Anoop Singh, disse hoje que o organismo multilateral está disposto a "fazer tudo que puder para ajudar o Brasil". Ao ser questionado sobre a possibilidade da renovação do acordo entre o Brasil e o Fundo, Singh disse que o governo brasileiro está fazendo "grande trabalho na administração de sua situação fiscal e das expectativas, criando as condições para um maior crescimento" econômico. "Estamos preparados para ajudar de qualquer maneira que pudermos, realisticamente", reiteirou Singh. O diretor do fundo observou, no entanto, que a decisão de renovar o acordo "é fundamentalmente do governo brasileiro".Singh comentou também a aprovação do acordo com a Argentina, ocorrida hoje. Ele salientou que isso "vai ajudar com que esse crescimento possa ser sustentado". Segundo ele, o acordo válido por três anos e que envolve cerca de US$ 12 bilhões tem, entre seus elementos mais importantes, "uma estrutura para maior consolidação fiscal, uma estratégia para fortalecer o sistema bancário e reformas institucionais para facilitar a reestruturação corporativa e melhorar o clima para investimentos". Segundo ele, entre os próximos 12 e 15 meses, o governo argentino deverá implementar uma ambiciosa reforma fiscal. "É desnecessário dizer que muito disso vai depender da firme implementação das mudanças, incluindo uma exitosa operação de reestruturação da dívida com os credores privados do país", disse.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2003 | 11h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.