FMI mantém ceticismo quanto à Argentina, dizem fontes

A posição do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Tesouro americano em relação à Argentina continua sendo de ceticismo, asseguram fontes bem informadas em Washington. O FMI considera um progresso a adoção do câmbio flutuante, mas ainda tem dúvidas sobre diversos pontos da economia argentina. Segundo essas fontes, a nota sobre a Argentina divulgada hoje pelo diretor-gerente do FMI, Horst Koehler, foi uma iniciativa de caráter diplomático, provocada pelo anúncio do ministro de Economia argentino Jorge Remes Lenicov, de que irá a Washington na próxima semana para negociar com o FMI. Caso Lenicov não tivesse anunciado a viagem, o FMI manteria a atitude de silêncio desaprovador em relação à Argentina, esclarecem as fontes.Na nota, o diretor-gerente do FMI afirma quedá as boas-vindas à visita, na terça-feira, de Jorge Remes Lenicov. Acrescenta, ainda, que o Fundo está trabalhando com a Argentina "para formular um programa a econômico abrangente e sustentável". "A reabertura dos bancos e do mercado de câmbio será um bom progresso," completou.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.