FMI: Nova previsão de crescimento global será 'ainda pior'

Diretor-gerente afirma que 2009 'não vai ser um ano bom para a economia mundial'.

Da BBC Brasil, BBC

21 de janeiro de 2009 | 08h15

O FMI deve reduzir consideravelmente suas projeções de crescimento, segundo indicou o diretor-gerente do Fundo, Dominique Strauss-Kahn, em entrevista ao programa da BBC Hard Talk.Segundo Strauss-Kahn, a retração econômica nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha devem chegar perto de 2%, e as economias emergentes, entre elas o Brasil, devem sofrer desaceleração maior do que a esperada."As coisas não estão melhorando", disse ele. A última previsão do FMI "não foi tão boa" e a nova previsão, a ser divulgada nos próximos dias, será "ainda pior"."2009 não vai ser um bom ano para a economia mundial, mas a gente poderá ver alguma recuperação em 2010", disse ele.Em sua última previsão, divulgada em novembro passado, o FMI previu que a economia mundial iria crescer 2,2% em 2009, sendo que a economia americana sofreria retração de 0,7%, e a da zona do euro encolheria cerca de 0,5%, mas a crise do crédito piorou desde então.Strauss-Kahn afirmou que economias dos Estados Unidos e da zona do euro poderão sofrer contração de entre 1,2 até 1,7%. "Vai haver este tipo de contração nos Estados Unidos e na Europa, inclusive na Grã-Bretanha".Sobre os emergentes, Strauss-Kahn afirmou que eles devem passar por um período "de crescimento muito lento". "O ritmo de crescimento vai ser menor, em comparação com o padrão." "Em geral, o primeiro semestre de 2009 vai ser ruim e o segundo semestre pode apresentar melhorias, mas a recuperação pode começar apenas em 2010", disse ele."A gente não vai voltar à alta taxa de crescimento antes de dois ou três anos."O diretor-gerente também não descartou que mais países venham a precisar da ajuda do fundo, inclusive na Europa, e afirmou que o FMI poderá precisar de mais dinheiro, caso a crise siga no mesmo ritmo pelos próximos meses.Mas Strauss-Kahn parece convencido de que o mundo vai se recuperar da crise. "Não sei quanto tempo vai levar, nem quanto vai custar, mas o mundo vai se recuperar desta crise".O diretor-gerente do FMI disse ainda que a crise é resultado de um sistema de regulação financeira que não funcionou.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.