finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

FMI pede estímulo global de US$ 1,2 tri contra crise

Segundo diretor do Fundo, 'é hora de usar todos os instrumentos' para recuperar a economia global

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

17 de novembro de 2008 | 18h35

O diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, defendeu nesta segunda-feira, 17, que até 2% do PIB mundial - o equivalente a US$ 1,2 trilhão - devem ser utilizados para recuperar a economia global.   Veja também: Principais economias do mundo confirmam cenário de crise De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise    Durante uma conferência sobre integração econômica na região do Magreb, Strauss-Kahn pediu o uso coordenado e "massivo" de políticas orçamentárias para superar a crise. "É hora de usar todos os instrumentos", disse ele, acrescentando que "a coordenação das políticas orçamentárias aumenta de forma acentuada os efeitos da política".   Strauss-Kahn também sinalizou que é favorável a um novo corte na taxa de juros do Banco Central Europeu (BCE). "Na Europa, ainda há possibilidades de flexibilização" na política monetária, ao contrário de países como os EUA e o Japão. O BCE reduziu a taxa de juros em 0,5 ponto percentual em 6 de novembro, para 3,25%.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraCrise nos EUAFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.