coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

FMI pede medidas mais agressivas contra crise

Documento preparatório para reunião do G20 diz que ações adotadas até agora não foram suficientes.

BBC Brasil, BBC

05 de fevereiro de 2009 | 19h36

Os governos precisam adotar medidas mais agressivas e coordenadas para combater a crise econômica mundial, disse nesta quinta-feira o Fundo Monetário Internacional (FMI).Em um relatório elaborado para um encontro preparatório para a reunião do G20, programada para abril, em Londres, o FMI disse que "é necessária ação em duas frentes: para restaurar a saúde dos setores financeiros e para impulsionar a demanda e sustentar uma recuperação duradoura da atividade global".Segundo o Fundo, as medidas "devem ser amplas e coordenadas internacionalmente". O relatório afirma que as medidas já adotadas para solucionar a crise financeira têm sido amplas, mas ainda não conseguiram avanços significativos. O documento diz ainda que políticas imediatas e de curto prazo devem ser compatíveis com a visão de longo prazo para a estruturação de um sistema financeiro viável e com a sustentabilidade fiscal no médio prazo."Se a saúde do setor financeiro não for restaurada, uma recuperação duradoura não será possível", diz o documento.O FMI afirma ainda que a cooperação internacional em relação a um grupo de políticas financeiras deve ter alta prioridade e que políticas macroeconômicas de estímulo serão cruciais para sustentar a demanda enquanto as questões financeiras são abordadas, e para "evitar uma longa e profunda recessão".No relatório, o FMI lembrou que sua previsão de janeiro indica crescimento mundial de 0,5% em 2009 e uma recuperação gradual em 2010, com crescimento em torno de 3%.No entanto, o Fundo alerta que a previsão é "incerta" e que uma virada depende de uma abordagem mais eficaz dos problemas financeiros e de fortes políticas de apoio à demanda.O documento afirma que a crise financeira se espalhou abruptamente sobre os mercados emergentes, nos quais "a situação permanece frágil".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
fmig20crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.