FMI pede unificação de bônus das províncias argentinas

O auditor do Fundo Monetário Internacional, Anoop Singh, pediu aos governadores das províncias argentinas a unificação dos bônus provinciais, que somam 4,5 milhões de pesos em circulação.Segundo informações do governador da província de Chubut, José Luis Lizurume, Anoop Singh alertou sobre o risco da volta da hiperinflação por falta de uma disciplina fiscal e que a propagação dos bônus contribui para este cenário. Conforme Lizurume, na reunião que os técnicos do FMI tiveram com os governadores, no começo desta tarde, Singh disse que ?se a inflação chegar a disparar, a Argentina será um país inviável?. O secretário de Fazenda, Oscar Lamberto, defendeu a manutenção dos papéis que funcionam hoje como moedas paralelas. ?Os bônus são praticamente a única fonte de financiamento que as províncias possuem, e se a Argentina receber assistência financeira do exterior, estes títulos poderão ser retirados ou trocados por pesos sem problemas?, argumentou o secretário. Oscar Lamberto disse ainda que se o apoio internacional não chegar, sobretudo do FMI, as províncias não contarão com outra via de financiamento além da emissão de bônus. "Isto é como o ovo e a galinha. Se dizemos às províncias que não podem usar bônus, e não lhes damos uma alternativa, se condena todo o território nacional a não ter meios de pagamentos", ameaçou Lamberto.Leia o especial

Agencia Estado,

11 de março de 2002 | 16h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.