FMI pode mudar metas com Indonésia após atentado

O Fundo Monetário Internacional (FMI) informou que provavelmente terá de mudar algumas metas previstas no acordo fechado com o governo indonésio, que prevê uma ajuda de US$ 5 bilhões, em razão do impacto dos ataques terroristas que deixaram mais de 180 mortos. O Fundo não detalhou quais mudanças poderão ser feitas, mas o Ministério das Finanças da Indonésia informou que o orçamento de 2002 deverá ficar abaixo das metas fixadas com o FMI, em virtude dos efeitos dos ataques em Bali. As explosões devem afetar negativamente o fluxo de turistas e investimentos estrangeiros para o país.Bolsa tem pequena recuperaçãoA Bolsa da Indonésia conseguiu sair do território negativo e fechou em alta, enquanto a rúpia valorizou-se ante o dólar, apesar de os investidores continuarem exibindo cautela, em razão das preocupações sobre a segurança no país depois dos ataques em Bali. O índice Jacarta Composto somou 4,72 pontos (+1,40%), para terminar em 342,20 pontos, amortizando um pouco da pesada perda de 10,4% registrada na sessão de segunda-feira. O volume negociado foi considerado forte, totalizando 1,55 bilhão de ações. Com o Banco Central voltando a intervir no mercado, a rúpia, a moeda do país, terminou o dia em alta ante o dólar. Após atingir o maior nível em seis meses, o dólar encerrou o dia cotado a 9,285 rúpias, abaixo do nível de 9.340 rúpias registrado ontem. Os operadores, no entanto, alertaram que a recuperação da rúpia deve ser temporária e previram que o dólar oscile entre 9.500-10.000 até o fim do ano, a menos que o governo prenda os responsáveis pelos ataques em Bali, que deixaram 182 pessoas mortas. Momentos após a abertura dos negócios, o dólar chegou a 9.400 rúpias. O Banco da Indonésia interveio quando a moeda oscilava entre 9.400-9.350 para amortecer as perdas da rúpia. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.