FMI pode precisar de recursos, diz Lagarde

Diretora-gerente do Fundo alerta que num ''futuro não distante'', assunto terá de ser revisto dado o nível de empréstimos feitos pela instituição

, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2011 | 00h00

NOVA YORK

O Fundo Monetário Internacional (FMI) pode precisar de mais recursos financeiros para lidar com as crises econômicas atuais e, provavelmente, terá de discutir a questão em breve, afirmou a diretora-gerente da instituição, Christine Lagarde.

Durante a crise global, o FMI dobrou os recursos para ajudar a fornecer suporte financeiro suficiente para uma série de países com problemas econômicos.

"A questão é: nós ainda temos o nível de recursos que agora é necessário e apropriado para solucionar as crises?", questionou Lagarde em evento no Conselho de Relações Exteriores, em Nova York. "No futuro não muito distante, provavelmente, teremos de revisitar esse assunto."

Dado o nível recorde de empréstimos do Fundo, economistas estão duvidando que o FMI tenha capital suficiente para lidar com países maiores da zona do euro que porventura precisem de ajuda externa - como Espanha e Itália.

Advertência. Lagarde disse ainda que os líderes dos Estados Unidos e da Europa precisam urgentemente agir para solucionar seus problemas de dívida soberana e evitar colocar a frágil recuperação global em colapso.

A autoridade reiterou seu alerta para o governo dos EUA, dizendo que um acordo sobre a elevação do teto da dívida precisa ser alcançado imediatamente para evitar prejuízos e uma séria disseminação da crise para o restante do mundo.

Em seu discurso, Lagarde declarou que, embora os EUA precisem elaborar rapidamente um plano para apertar o orçamento e aumentar a receita para controlar as finanças, os legisladores devem tomar cuidado para não serem precipitados nos cortes.

A Europa, por sua vez, precisa implementar também com urgência as medidas prometidas pelos líderes na semana passada para fortalecer a governança econômica na zona do euro. A diretora do FMI declarou que a crise de dívida soberana da Europa "revelou os riscos impostos por uma união econômica e monetária incompleta". A equipe do FMI tem afirmado que a Europa precisa se mover na direção do federalismo fiscal, mesmo se isso significar a perda de parte da soberania por alguns membros. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.