FMI promete atender pedido de ajuda da Grécia

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, disse hoje que o Fundo vai atender ao pedido da Grécia para obter ajuda financeira. "Estamos preparados para atuar rapidamente sobre esse pedido", disse ele em comunicado. Mais cedo, o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, disse que "chegou o momento" de o país requisitar ajuda sob um plano de resgate conjunto da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI), depois de meses de turbulência nos mercados financeiros gregos.

MARCÍLIO SOUZA, Agencia Estado

23 de abril de 2010 | 09h33

Papandreou afirmou que deu a ordem para que o ministro de Finanças do país, George Papaconstantinou, tome os passos necessários para solicitar ajuda. O ministro deve se reunir amanhã com Strauss-Kahn em Washington, e autoridades gregas esperam que um pedido formal de ajuda ao FMI seja feito na reunião.

"A decisão (do primeiro-ministro) foi finalizada nesta manhã", disse uma pessoa próxima a Papandreou. "Até então, a ordem era esperar que Papaconstantinou ouvisse as sugestões de Strauss-Khan. Mas Papandreou afirmou que é óbvio que a Grécia não pode mais seguir nesta miséria porque os mercados estão apostando que o país entrará em colapso. Por isso ele decidiu encerrar isso hoje. O desafio real para nós está apenas começando", disse a fonte.

Alemanha

A Alemanha está pronta para fornecer ajuda para a Grécia, uma vez que o plano de reestruturação do FMI para o país endividado está pronto, afirmaram autoridades do governo alemão. Christoph Steegmans, porta-voz do governo da Alemanha, afirmou que as precondições para a ajuda seriam um pedido da Grécia, um programa do FMI finalizado e um comunicado do Banco Central Europeu (BCE) e do FMI dizendo que essa é uma situação em que não há outra saída. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseGréciaFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.