FMI recomenda acerto rápido com credores da Argentina

O Fundo Monetário Internacional (FMI) recomendou ao governo da Argentina uma rápida renegociação da dívida com os credores externos e a continuação da política determinada pelo Banco Central. Somente após esses passos, o organismo deverá liberar recursos novos para o país, dentro de um novo acordo, possivelmente a ser fechado no final de abril.Estas informações foram publicadas na primeira pagina do jornal argentino La Nación, na edição deste sábado. Por outro lado, o vice-ministro de Economia, Jorge Todesca, confirmou que o acordo com o Fundo Monetário Internacional estará fechado no final de abril , data estimada para que o governo execute as medidas solicitadas pela missão técnica.Dentre elas, medidas de caráter fiscal e ajustes nos números do Orçamento. De acordo com o vice-ministro, não se sabe o montante que será liberado pelo FMI, mas o governo está convencido de que, feito o ajuste solicitado, o desembolso será feito.Todesca afirmou que o FMI está preocupado com as metas de déficit fiscal e quer que o governo se ocupe de "reforçar o fluxo de arrecadação". O vice-ministro disse ainda que o acordo com o FMI será seguido por acordos com o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.