FMI recusa entrada em programa de resgate ao Chipre

O Fundo Monetário Internacional (FMI) se recusou a participar do programa de resgate ao Chipre, segundo informou nesta quinta-feira o jornal alemão Sueedeutsche Zeitung, citando fontes anônimas.

AE, Agencia Estado

20 de dezembro de 2012 | 12h05

Sem o resgate, o Chipre não deverá ser capaz de pagar os juros ligados às suas dívidas, apesar do esforço do país para efetuar reformas. Além disso, é improvável que a Alemanha e a Holanda apoiem uma solução que não envolva o FMI.

O Chipre precisa de ajuda financeira no valor de 17 bilhões de euros (US$ 22,53 bilhões), dos quais cerca de 10 bilhões serão colocados no setor bancário do país. Os termos do resgate vêm sendo negociados com a zona do euro e o FMI nos últimos cinco meses, sendo a recapitalização dos bancos a questão mais controversa do acordo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FMIChipreresgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.