FMI: reservas internacionais não são escudo contra crise

As amplas reservas internacionais ofereceram pouca proteção na crise econômica, disse o vice-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), John Lipsky, nesta quinta-feira.

REUTERS

25 de junho de 2009 | 08h10

"Uma das maiores surpresas talvez seja que os colchões de amplas reservas não são, na verdade, uma proteção tão grande quanto alguns pensavam", disse ele.

"Elas fazem bem quando estão sendo construídas, mas no fim elas não são tão úteis quanto você poderia pensar."

Ele acrescentou que seria inadequado se os países chegarem à conclusão de que é necessário ter amplas reservas como um escudo contra crises financeiras.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROFMIRESERVAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.