FMI vai fazer cortes drásticos em estimativas de crescimento

'As coisas não estão melhorando', afirma diretor do Fundo Monetário Internacional sobre a economia global

Reuters,

21 de janeiro de 2009 | 07h28

O Fundo Monetário Internacional (FMI) fará cortes drásticos em suas estimativas de crescimento este mês e a economia global não deve voltar a ter expansão forte em pelo menos dois ou três anos, afirmou nesta quarta-feira, 21, o diretor-gerente do Fundo, Dominique Strauss-Kahn. "As coisas não estão melhorando", afirmou Strauss-Kahn em entrevista ao programa Hard Talk da rede britânica de televisão BBC.  Veja também:Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  A última estimativa do FMI "não foi boa" e a próxima projeção, que deve ser divulgada em poucos dias, será "ainda pior", afirmou Strauss-Kahn.  Ao ser perguntado sobre as estimativas do FMI para o mundo, Estados Unidos e economias europeias, Strauss-Kahn disse que não sabia exatamente em quanto estas projeções serão reduzidas, mas acrescentou: "eu temo que pelo menos em meio ponto ou um ponto porcentual".  Nas previsões divulgadas em novembro, o FMI estimou um crescimento global de 2,2% em 2009 enquanto os Estados Unidos deveriam encolher 0,7% e a zona do euro sofreria uma queda de 0,5%.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.