carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

FMI vai revisar as projeções para 2007

Economia mundial perderá ritmo, mas continuará crescendo, diz Rato

EFE, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2008 | 00h00

O Fundo Monetário Internacional (FMI) espera algumas revisões para baixo em suas previsões de crescimento global para este ano e também para 2008 depois da crise no mercado de hipotecas dos Estado Unidos, disse ontem o diretor-geral da organização, o espanhol Rodrigo de Rato, durante discurso em um seminário financeiro que está sendo realizado na cidade de Cernobbio, no norte da Itália. Ele afirmou que as revisões serão provavelmente maiores nos Estados Unidos, "mas também haverá algum impacto na zona do euro".Rato se mostrou otimista sobre as perspectivas de crescimento da economia européia, que, mesmo em ritmo menor, continuará crescendo. Ele considerou que, apesar da crise, as grandes economia e os países emergentes "continuam sendo fortes" e que as maiores empresas, mesmo nos EUA, o país mais afetado, continuam obtendo benefícios.O diretor-geral do FMI destacou que "a economia americana continuará crescendo, ainda que a um ritmo menor neste ano e no próximo", mas se espera um bom crescimento no Japão e nos mercados emergentes. "Segundo nossas estimativas, China e Índia contribuirão com mais de um quinto do crescimento global em 2007." "Essa turbulência financeira terá efeitos modestos sobre o crescimento global neste ano, mas ainda assim deixará índices de crescimento global parecido com o que vimos em anos recentes", afirmou. Segundo ele, essa previsão se cumprirá "supondo que as condições financeiras do mercado se estabilizem nos próximos meses". De acordo com a análise de Rato, a situação dos mercados está se "estabilizando", "a liquidez está reaparecendo" e estão sendo avaliados projetos de longo prazo. Para ele, no futuro podem surgir duas questões: que continue havendo restrições de crédito, o que afetaria setores de venda e países emergentes, e que alguns bancos tenham problemas de liquidez. Rato considera que os bancos centrais cumpriram seu papel durante a crise. "Os bancos centrais são responsáveis pela estabilidade financeira e dos preços e têm demonstrado que são capazes de garanti-las."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.