Foco está em buscar bons fornecedores nas comunidades

Não basta querer ajudar, ação deve estar no DNA da companhia, como destaca Patrick Sabatier, da multinacional L'Oréal

O Estado de S.Paulo

25 de maio de 2014 | 03h15

A discussão sobre o aumento da competitividade na indústria por meio da união entre companhias de diversos portes contou com a experiência de representantes de grandes grupos e da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Gustavo Rocha, diretor-presidente da Invepar, detalhou o projeto Decolando Guarulhos, que por meio de parcerias, promove o desenvolvimento econômico e social das comunidades em torno do aeroporto.

Em 2013, por exemplo, 10% do volume das compras foram feitos com fornecedores locais. Para 2014, a meta revelada pelo executivo é chegar a 20%.

Já o diretor de relações institucionais da L'Oréal Brasil e Zona Hispano-Americana, Patrick Sabatier, destacou que a parceria com as pequenas empresas está no DNA da companhia, que desenvolve microdistribuidores dentro das comunidades.

Segundo Luiz Moan, presidente da Anfavea, o setor tem um programa para identificar peças importadas, mas com escala para serem produzidas no País. "O setor desempenha um papel de âncora, sem criar uma dependência." Jorge Gerdau, presidente do conselho de administração da Gerdau, também participou do debate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.