Focus aponta IPCA acima de 5% neste ano pela 1a vez

O mercado revisou para cima oprognóstico para a inflação em 2008 pela oitava semana seguida,colocando-o acima dos 5 por cento pela primeira vez. Aestimativa para 2009 também foi elevada, alcançando o centro dameta perseguido pelo governo, segundo relatório Focus divulgadonesta segunda-feira pelo Banco Central. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao ConsumidorAmplo (IPCA) passou de 4,96 por cento na semana passada para5,12 por cento. Para o final de 2009, a expectativa de IPCAsubiu de 4,47 para 4,50 por cento. As previsões das instituições Top Five --as que maisacertam-- são ainda mais elevadas, subindo de 5,06 por cento nasemana passada para 5,24 por cento para este ano e mantendo-seacima do centro da meta, em 4,60 por cento, para 2009. O meta de inflação perseguida pelo governo neste ano e nopróximo tem centro em 4,5 por cento e tolerância de 2 pontospercentuais para cima ou para baixo. "As maiores estimativas para 2008 são um desenvolvimentonegativo, mas já era esperado", disse Vladimir Caramaschi,economista-chefe da Fator Corretora. Após duas semanas de dados de inflação em aceleração,sobretudo no atacado, os economistas estão revendo para cimasuas estimativas para os preços, sendo que a ponta mais alta domercado, segundo as últimas pesquisas da Reuters, já seencontra perto dos 6 por cento. JUROS FUTUROS SOBEM O Focus --que costuma ter uma certa defasagem em relação àsestimativas mais atuais dos bancos-- mexia com o mercado dejuros nesta manhã. "Os números do Focus não serão bem recebidos pelo mercadofuturo", disse Caramaschi, argumentando que a estimativaestável para o IPCA em 2009 (pelas Top Five) pode reduzir seuimpacto positivo diante dos aumentos das demais projeções, Na BM&F, o contrato de Depósito Interfinanceiro janeiro de2009 subia de 13,04 por cento, na sexta-feira, para 13,06 porcento. O Focus acrescentou que o prognóstico para a Selic no finaldeste ano foi mantido em 13,25 por cento, mas aumentou para ofinal de 2009, passando de 11,75 por cento para 12,00 porcento. A projeção para o dólar teve leve queda, passando de 1,72real para 1,70 real no final de 2008. Para o fim de 2009, aestimativa da taxa de câmbio também foi reduzida de 1,80 realpara 1,78 real. O relatório do Banco Central também aumentou a previsãopara o crescimento econômico neste ano, de 4,66 por cento para4,69 por cento. (Reportagem adicional de Cláudia Pires; edição de AlexandreCaverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.