Força faz manifestação pela correção da tabela do IR

A Força Sindical, segunda maior central de trabalhadores do País, realizou hoje manifestações na Grande São Paulo para cobrar do Ministério da Fazenda a correção da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). Segundo o presidente da Força, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, a tabela teria de ser corrigida em 56% se tomada a inflação desde 1996, data do último reajuste, até março de 2004."Se conseguirmos pelo menos a correção da inflação referente ao período do governo Lula já é um avanço", afirmou Paulinho, que está em Brasília participando de seminário realizado pelo PL e, por isso, não participou das manifestações.Ele preferiu não projetar nenhum valor específico para a correção do período Lula, alegando que isso seria objeto de negociação com o próprio governo, mas defendeu o reajuste imediato da tabela para ampliação do rendimento líquido dos contribuintes."Corrigir a tabela representa aumento de consumo e retorno aos cofres públicos, via impostos. É também injusto com os trabalhadores que tiveram a correção de seus salários pela inflação, sem aumento real, e passaram a pagar o Imposto de Renda por ter ultrapassado o limite de isenção", argumentou. "Na prática, os trabalhadores tiveram redução do seu salário líquido", alegou.PropostaO ministro da Fazenda, Antonio Palocci, deverá divulgar amanhã, às 11h30, em encontro com lideranças da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a proposta do governo para correção da tabela do IRPF. Paulinho, da Força, informou que também se reuniria amanhã com Palocci para discutir a correção da tabela, mas o encontro foi suspenso "porque o ministro quer conversar primeiro com o pessoal da CUT".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.