Força recusa proposta da Fiesp para redução de salário

A Força Sindical ainda não analisou, mas também não vai aceitar, a proposta encaminhada na semana passada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) que sugere o pagamento apenas das horas efetivamente trabalhadas (excluindo-se feriados e o DSR); reavaliação dos acordos referentes aos aumentos de antecipação salarial; redução de adicional noturno a 20% e concessão de férias fracionadas. "Não discutimos esse assunto mas posso antecipar que não aceitamos essa proposta", disse hoje o presidente da Força, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, após participar de manifestação em defesa da queda da Selic em frente ao prédio do Ministério da Fazenda em São Paulo. Segundo ele, a central sindical quer se reunir com empresários para pressionar o governo federal a reduzir juros, depósitos compulsórios dos bancos e superávit primário para, assim, estimular o crescimento econômico. "Antes de pensar em demissões, temos alternativas como bancos de hora e férias coletivas. Para isso ser negociado, o governo precisa reduzir os juros, dar uma sinalização clara de que os juros vão cair e o mercado consumidor vai crescer", argumentou. "Essa é a luz no fim do túnel e os empresários, sabendo que suas empresas voltarão a crescer, não vão demitir", estimou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.