Força Sindical faz manifestação por redução dos juros

A Força Sindical iniciou nesta manhã, no bairro da Luz, região central de São Paulo, manifestação para cobrar a redução da taxa Selic pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central em sua reunião a ser iniciada hoje e concluída amanhã. "Vamos pressionar o Copom e o governo para reduzir pelo menos um ponto porcentual da Selic e para que se mantenha a sinalização de queda dos juros nos próximos meses", disse o presidente da Força, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho. Os sindicalistas saíram da estação Armênia do Metrô com destino a representação do Ministério da Fazenda, na avenida Prestes Maia, no Bairro da Luz, onde pretendem encerrar o protesto utilizando um carro de som. Segundo Paulinho, caso o Copom não reduza os juros ou o faça em apenas 0,50 ponto porcentual, a central intensificará a onda de protestos contra a política econômica do governo Luiz Inácio Lula da Silva. "Reduzir 0,50 ponto porcentual não resolve nada. Além disso, é preciso diminuir o depósito compulsório exigido dos bancos e reduzir o superávit primário. Até o momento, o governo Lula não investiu um centavo sequer na construção civil e na manutenção das estradas", afirmou.O líder sindical admitiu que seu protesto foi prejudicado pela greve de metrô que acontece hoje em São Paulo. A expectativa dos organizadores era de contar com a presença de 5 mil pessoas no protesto e, por enquanto, não há mais do que 2 mil. Além disso, a manifestação prejudica o já complicado trânsito na região central da capital, hoje bastante afetado pela greve dos metroviários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.