Força Sindical pede afastamento imediato de Meirelles

A Força Sindical quer o afastamento de Henrique Meirelles da presidência do Banco Central, por conta da abertura de inquérito autorizada ontem pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar as denúncias de irregularidades contra o presidente da autoridade monetária. Em nota divulgada à imprensa nesta sexta-feira, o presidente da central sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, afirma que a permanência de Meirelles é o mesmo que "deixar o bode cuidar da horta" e pode estimular um clima de incertezas no cenário nacional e internacional, com "graves prejuízos" para o Brasil. "Diante de todas as denúncias e suspeitas envolvendo o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, a direção da Força Sindical exige o seu imediato afastamento do cargo. Não podemos de forma alguma nos calar diante de tal afronta ao povo brasileiro e manter em um cargo tão importante, que conduz as finanças do País, um funcionário público de alto escalão acusado de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e evasão de divisas", diz a nota assinada por Paulinho. "Manter o atual presidente no cargo é premiar o ilícito e negar para a sociedade a punição do mau exemplo na condução do bem público", complementa o líder da Força Sindical. Ontem, o STF atendeu pedido da Procuradoria-Geral da República e determinou a quebra de sigilo fiscal de Meirelles, além de autorizar o inquérito para apuração de indícios de crime contra o sistema financeiro, sonegação fiscal e crime eleitoral. Apesar da quebra de sigilo, o inquérito correrá em segredo de Justiça.

Agencia Estado,

13 Maio 2005 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.