Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Força Sindical planeja protestos em período pré-Copa

A Força Sindical planeja realizar protestos durante todas as semanas do mês de maio para aproveitar a visibilidade do período pré-Copa do Mundo e tentar melhorar as negociações salariais para as categorias com data-base no primeiro semestre. Os dirigentes da central tiveram nesta quinta-feira, 17, uma reunião de pouco mais de três horas com cerca de 60 líderes dos principais sindicatos e decidiram batizar o cronograma de protestos de "esquenta Copa". "Não vai ser uma série de protestos contra a Copa, mas queremos aproveitar esse momento de visibilidade para tentar sensibilizar a classe patronal e os governos", afirmou Miguel Torres, presidente da Força Sindical.

CARLA ARAÚJO, Agencia Estado

17 de abril de 2014 | 12h25

Entre esses setores que planejam manifestações estão aeroviários, rodoviários, trabalhadores da construção civil, das usinas de etanol e da alimentação, eletricitários, telefônicos, servidores públicos municipais e estivadores. "Os metalúrgicos só têm data-base no segundo semestre, mas como eles já estão sofrendo com demissões, pode ser que eles também queiram aderir aos protestos", disse Torres. O calendário de dias e local dos atos ainda será definido.

Além do cronograma semanal de maio, a Força pretende realizar um grande ato reunindo todas as categorias que representa no dia 6 de junho, menos de uma semana antes do início da Copa. De acordo com Torres, a reunião desta quinta decidiu que os protestos serão em São Paulo, mas a ideia da central é estender a pauta para outros Estados. Segundo o dirigente, a Força representa cerca de 150 sindicatos com data-base no primeiro semestre. "Isso dá mais ou menos 1,5 milhão de trabalhadores", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
protestoForça SindicalCopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.