Força Sindical quer ir à Justiça contra demissões da Embraer

Na última quinta, fabricante de aviões anunciou corte de 20% dos 21,3 mil funcionários devido à crise

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

20 de fevereiro de 2009 | 13h27

A Força Sindical pretende entrar com uma ação judicial no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Campinas contra a Embraer na próxima quarta-feira, dia 25 de fevereiro. De acordo com nota oficial divulgada nesta sexta-feira, 20, a Força, com outras entidades sindicais, irão pedir que o TRT reconheça a ilegalidade da dispensa coletiva de cerca de 4.200 funcionários anunciada na última quinta pela empresa.   Veja também: Sindicato tenta barrar entrada de funcionários da Embraer Embraer anuncia corte de 20% dos 21,3 mil funcionários De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   As outras entidades sindicais que também entrarão com essa ação judicial são Conlutas, Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu e Sindicato dos Metalúrgicos de Gavião Peixoto.   Para a Força, as demissões foram irregulares e aconteceram de forma unilateral, sem abertura de negociação com os legítimos representantes dos trabalhadores. A nota oficial informa ainda que as entidades também irão cobrar responsabilidade social da empresa. "Durante anos (a Embraer) recorreu ao BNDES com ajuda financeira de dinheiro público e agora pratica atos antidemocráticos e ilegais, penalizando os trabalhadores", diz o informe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.