Força Sindical teme demissão com união de varejistas

A Força Sindical manifestou em nota divulgada hoje preocupação com o anúncio da associação entre o Grupo Pão de Açúcar e a Casas Bahia. O presidente da central, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho, e o presidente da Federação dos Empregados no Comércio do Estado de São Paulo, Luiz Carlos Motta, afirmam que não vão aceitar nenhuma iniciativa de corte de empregos nas empresas e exigem que o processo seja feito com transparência e diálogo com os trabalhadores.

EQUIPE AE, Agencia Estado

04 de dezembro de 2009 | 18h46

"Consideramos que as empresas, mesmo as privadas, devem cumprir elevada função social de gerar empregos decentes e ofertar produtos e serviços acessíveis a todos os cidadãos. Queremos que os responsáveis pela fusão tenham sensibilidade social e evitem o fechamento de postos de trabalho", diz o comunicado.

Os dirigentes demonstram apreensão quanto aos possíveis impactos da associação na concorrência, especialmente nas micro e pequenas empresas, e cobram do governo a aplicação de medidas que garantam que consumidores e trabalhadores não serão prejudicados.

"Cabe ao poder público adotar as medidas necessárias à garantia da concorrência no setor varejista de comércio e a proteção ao consumidor. Um grande conglomerado na área do comércio varejista é uma ameaça aos micro e pequenos estabelecimentos comerciais, que, em geral, sucumbem frente ao enorme poder de mercado dos conglomerados, levando milhares de empreendedores à falência e de trabalhadores ao desemprego."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.