Força-tarefa inclui 300 procuradores de plantão

Governo se diz pronto para contestar qualquer liminar que tente barrar a realização do leilão no pré-sal, na segunda-feira

BRASÍLIA, RIO, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2013 | 02h09

A Advocacia-Geral da União (AGU) montou uma força-tarefa com 300 procuradores de todo o País para acompanhar decisões de tribunais e contestar eventuais liminares concedidas contra a realização do leilão de Libra. "Estamos preparados para responder aos questionamentos", disse o advogado-geral da União, ministro Luís Inácio Adams, ao Estado.

O pregão de Libra, primeiro na modalidade de partilha, está marcado para segunda-feira. Por isso, o batalhão de procuradores ficará de plantão no fim de semana. Embora precavido contra ações na Justiça, o governo avalia que as contestações devem ser menos contundentes porque serão caracterizadas como iniciativas "mais ideológicas". "Não é uma questão de disputa econômica clássica", disse Adams. O governo espera a mobilização jurídica de sindicatos, sobretudo dos petroleiros, que anunciaram greve em algumas regiões do País.

O leilão já foi alvo de quatro demandas judiciais. No Rio, um dos pedidos de liminar foi indeferidos pela desembargadora Nizete Lobato Carmo. Ela considerou vagas as alegações relacionando espionagem de empresas e governos estrangeiros ao processo comandado pela ANP. / MAURO ZANATA, FELIPE RECONDO E ANTONIO PITA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.