Força-tarefa para classe média

O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou ontem na Casa Branca o lançamento de um grupo de trabalho liderado pelo vice-presidente, Joe Biden, que será responsável por propor medidas que favoreçam a classe média.Obama assinou também uma série de memorandos e ordens executivas em benefício de sindicatos que, segundo ele, "permitirão melhorar as condições" para que os trabalhadores se organizem. O presidente declarou que "discordava veementemente" das políticas trabalhistas dos últimos 8 anos, numa clara crítica a George W. Bush. Obama admitiu que "a recessão se está agravando - a economia do país recuou 3,8% no último trimestre de 2008 - e a cada dia vemos uma nova rodada de demissões" nas empresas americanas."Não podemos arrastar os pés" na hora de tomar medidas, declarou, ao insistir é preciso "criar empregos, não qualquer emprego, mas empregos de qualidade". Embora o grupo de trabalho deva se centrar em medidas para favorecer a classe média, Obama disse que não se pode esquecer dos pobres.A primeira reunião da força-tarefa acontecerá em fevereiro na Filadélfia, anunciou Biden. "Uma classe média forte equivale a um país forte. Não podemos ter o um sem o outro", acrescentou.O grupo será formado por funcionários de alto escalão do governo que, além de suas sessões ordinárias, terão encontros com representantes de sindicatos, empresas e grupos comunitários. Entre as metas estão expansão da educação, melhora da condição de vida de trabalho e familiar e a proteção da aposentadoria.

AGÊNCIAS INTERNACIONAIS, O Estadao de S.Paulo

31 de janeiro de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.