Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Ford confirma venda da fábrica do ABC paulista para construtora

Empresa negociava área onde produziu carros por mais de 50 anos desde fevereiro de 2019, quando anunciou o fechamento

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2020 | 13h04

A Ford assinou nesta sexta-feira, 19, memorando de intenções para a venda da fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, com a Construtora São José, especializada em empreendimentos imobiliários logísticos e comerciais de alto padrão. O valor não foi revelado pela montadora, mas, na terça-feira, o prefeito da cidade, Orlando Morando, já tinha adiantado a informação e disse que o valor do negócio é de R$ 550 milhões.

Segundo Morando, a construtora informou que vai oferecer parte da área para uma montadora e parte para uma empresa de logística. A venda ocorre um ano e quatro meses após a empresa anunciar o encerramento da produção na unidade, em fevereiro de 2019. O encerramento total da produção ocorreu em outubro. A unidade produzia o automóvel Fiesta e caminhões, e empregava 2,8 mil trabalhadores.

Segundo a Ford, o acordo é resultado de um processo de seleção que envolveu uma série de potenciais compradores, no qual São José apresentou a melhor alternativa para a planta e para a região. A FRAM Capital atuou na estruturação financeira e estudos de viabilidade da operação.

Segundo fontes do mercado, as concorrentes, todas do ramo da construção, teriam sido Autonomy, Brookfield, GLP, Prologis e Exeter Property Group. No início das negociações, três montadoras se interessaram pela área – duas chinesas e o grupo brasileiro Caoa, mas não houve acerto.

A Ford informa que conclusão do processo depende da realização de uma diligência conjunta, que deve ser completada no prazo de aproximadamente 90 dias.

“A assinatura desse memorando de intenções é um passo importante para a concretização da venda da fábrica de São Bernardo”, diz Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul e Grupo de Mercados Internacionais. “Nós avaliamos uma série de alternativas e acredito que chegamos à melhor solução entre as opções disponíveis para atender as necessidades da região e gerar empregos. A São José é uma empresa grande e conceituada, com presença nacional, e tenho certeza de que será importante para São Bernardo do Campo.”

Segundo Lyle Watters, a Ford continua no processo de transformação para agilizar suas operações e melhor atender os consumidores.

Alto padrão

A São José atua no setor há 37 anos com foco no segmento de alto padrão. Em seu site, informa que vem intensificando sua participação em dez Estados nos setores de hotéis, loteamentos, shopping centers e outlets. O grupo, inclusive, foi responsável pela construção, no ABC, do Shopping São Bernardo Plaza, com 200 lojas.

Morando disse que a prefeitura está disposta a auxiliar e viabilizar a chegada do empreendimento o quanto antes à cidade, para gerar empregos. “Desde o anúncio da saída Ford, que foi de maneira repentina, nós, da Prefeitura, buscamos por diversos mecanismos a preservação dos postos de trabalho. E, agora, com este negócio, ascende uma esperança para a geração de empregos, que terão o impacto muito positivo em toda a cidade e Estado”, disse.

Na terça-feira, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, que participou das discussões sobre o futuro da área, disse que a Ford havia se comprometido a informar a entidade em relação ao destino a planta, mas até aquela data não havia feito nenhum contato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.