Ford deve cortar até 2 mil funcionários nos EUA

Pressionada para ampliar seu programa de redução de custos, a companhia norte-americana Ford Motor Co. está preparada para cortar dois mil empregos administrativos na América do Norte, de acordo com uma reportagem publicada pelo Detroit Free Press. Representantes da empresa disseram que um anúncio aos empregados pode ser feito ainda hoje. Também hoje, a Ford abriu negociações contratuais com o sindicato United Auto Workers, para a discussão dos cortes previstos. Um porta-voz do grupo não retornou imediatamente ligações para comentar o assunto. A Ford tem 45 mil trabalhadores assalariados na América do Norte. Os cortes de empregos administrativos fariam parte de um plano da companhia para reduzir suas despesas mundiais com trabalhadores assalariados em 10%, confirmado pela empresa. A Ford tem um plano de recuperação amplo para lucrar US$ 7 bilhões antes de impostos até 2005 ou 2006. Desde que implementou o plano em 2001, a companhia reduziu sua força de trabalho na área administrativa em cinco mil posições, por meio de aposentadorias voluntárias. Neste ano, espera-se que a empresa lucre cerca de US$ 1 bilhão, mas o grupo enfrenta uma concorrência crescente de fabricantes automobilísticas asiáticas no fraco mercado norte-americano. Analistas disseram que a Ford, General Motors Corp. e DaimlerChrysler AG provavelmente vão tentar obter cortes de empregos e alterações de regras trabalhistas nas negociações com o sindicato. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

18 Julho 2003 | 14h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.