Nacho Doce/Reuters
Nacho Doce/Reuters

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Ford encerra produção de caminhões em fábrica de São Bernardo do Campo

Fechamento da fábrica foi anunciado em fevereiro; empresa aguarda fim das negociações de venda para o grupo brasileiro Caoa

Ana Luiza de Carvalho, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2019 | 10h43

A Ford anunciou, nesta quarta-feira, 30, o encerramento da produção de caminhões da fábrica em São Bernardo do Campo (SP).  O fechamento da unidade já havia sido confirmado em fevereiro. ​Por meio de nota, a Ford afirmou que a suspensão da produção ocorre "em linha com a decisão de sair do segmento de caminhões na América do Sul". "A ação em São Bernardo foi difícil, mas necessária para a reestruturação dos negócios da empresa", afirmou a empresa.

Com a medida, cerca de 650 funcionários devem ser dispensados. Outros mil da seção administrativa da empresa devem continuar na empresa até março. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a unidade tinha 2,8 mil funcionários à época do anúncio de encerramento das atividades. Desde então, 1,5 mil trabalhadores foram demitidos, a maioria pela adesão a um Programa de Demissão Voluntária (PDV). 

Em junho, 750 funcionários que trabalhavam na linha de produção Fiesta foram demitidos após o fim da fabricação do modelo. A produção de caminhões seria mantida até novembro, quando seriam finalizadas as negociações de venda para o grupo brasileiro Caoa.  Até o momento, porém, a Caoa não conseguiu levantar os recursos necessários para efetivar a compra, anunciada no início de setembro.

"As negociações envolvendo a venda da planta para o grupo CAOA ainda estão em andamento, sem decisão conclusiva até o momento, e a Ford reitera que continua fazendo todos os esforços cabíveis para alcançar um resultado positivo", afirmou a Ford por meio de nota.

A empresa também agradeceu ao empenho dos funcionários. “Mesmo após o anúncio feito em fevereiro, eles nunca deixaram de cumprir com suas obrigações, produzindo produtos de altíssima qualidade e cuidando da segurança”, afirmou Lyle

Watters, presidente da Ford América do Sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.