Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ford inicia produção de caminhão global no ABC

Montadora também anuncia volta da fabricação dos veículos Série F, que saíram de linha em 2011 por não atenderem normas de emissão de poluentes

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2013 | 02h16

Repetindo cena de março, quando mostrou ao público o novo compacto Fiesta numa festa no Paço Municipal de São Bernardo do Campo (SP), em parceria com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a Ford lançou ontem o primeiro caminhão global da marca, o Cargo extra pesado, ao lado de sindicalistas.

Desta vez, o evento foi mais modesto, na fábrica do ABC paulista, com presença de dirigentes da montadora, do sindicato, de trabalhadores e da imprensa. "A parceria com o sindicato foi vital para a tomada de decisão do investimento", disse o presidente da Ford do Brasil, Steven Armstrong.

 

A parceria, resumida numa relação menos conflituosa entre empresa e trabalhadores, tem garantido o futuro da fábrica, que nos anos 90 foi ameaçada de fechamento por falta de competitividade. "Conseguimos recolocar São Bernardo na estratégia global de investimentos da Ford", disse o presidente do sindicato, Rafael Marques.

O Cargo "extra pesado" que começou a ser fabricado ontem foi desenvolvido no Brasil em parceria com a unidade da Ford da Turquia, onde também começou a ser produzido neste ano. As vendas do veículo (com capacidade para até 56 toneladas de carga) começam em setembro. O modelo vai enfrentar concorrentes da Mercedes-Benz, Volkswagen, Scania e Volvo que custam entre R$ 280 mil e R$ 400 mil.

"Agora temos produtos em todos os segmentos", disse o vice-presidente da Ford, Rogelio Golfarb. O desenvolvimento do novo veículo faz parte do investimento de R$ 4,5 bilhões para o grupo no período 2011 a 2015, sendo quase R$ 700 milhões para a unidade de caminhões.

O novo caminhão, que terá as versões 2042 e 2842, também será exportado para países da América do Sul, mas Golfarb não adiantou detalhes.

Série F. Golfarb também anunciou ontem que, após ter a produção suspensa em 2011 por não atender a nova norma de emissões de poluentes, os caminhões Série F voltarão ao mercado na primeira metade de 2014.

Remodelados e com motor que atende a legislação Euro 5, os veículos da categoria de leves (capacidade de 6 a 10 toneladas de carga) também serão produzidos no ABC. O Série F foi o primeiro caminhão a ser fabricado pela Ford no Brasil, no fim dos anos 50 e, desde então, passou por diversas remodelações.

A fábrica de caminhões, instalada no mesmo complexo onde são feitos os automóveis Fiesta e Ka, opera com apenas um turno de trabalho e tem exigido horas extras dos 700 funcionários para dar conta da demanda. Futuras contratações estão sendo negociadas. "Também vamos negociar o início da produção de ônibus", informou Marques.

A fábrica produz 166 caminhões ao dia. A Ford detém 14% do mercado nacional de caminhões - que este ano deve crescer cerca de 9%, para 152 mil unidades. O segmento de extra pesados, onde a marca passa a atuar, responde por 24% das vendas totais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.