Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ford lança modelo mundial criado em Camaçari para mercados emergentes

Ka Concept é o 2º produto global desenvolvido no País pela montadora, que lançou no ano passado o novo EcoSport; o modelo, que deve chegar ao mercado no 1º semestre de 2014, vai brigar com Palio, Gol, Onix e HB20

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2013 | 02h18

CAMAÇARI, BA - Após meses de especulação, a Ford apresentou, no complexo industrial da montadora em Camaçari, região metropolitana de Salvador, as linhas de seu novo carro global, um compacto que substituirá o Ford Ka a partir do ano que vem.

"Este é o segundo produto global da Ford vindo do Brasil e virão outros", disse Bill Ford, bisneto do fundador Henry Ford e atual presidente do conselho mundial da marca, que veio ao Brasil para o evento. "O melhor ainda está por vir", acrescentou o executivo. O primeiro modelo mundial desenvolvido e fabricado em Camaçari foi a nova geração do EcoSport, lançada no ano passado.  

Chamado de Ka Concept na apresentação, o veículo ainda não tem o nome comercial definido e deve estrear no mercado no primeiro semestre de 2014. O modelo ocupará um segmento acima do disputado pela atual versão do Ka. "Ele ficará posicionado imediatamente abaixo do New Fiesta (cujo preço inicial é de R$ 39 mil)", conta o gerente-geral de marketing da empresa, Oswaldo Ramos. "No mercado brasileiro, ele vai competir com Gol, Palio, Onix e HB 20, principalmente nas opções 1.0 desses carros."

Para atingir o objetivo, o carro cresceu. As dimensões não foram divulgadas, mas o "novo Ka" passa a ter cinco portas e será fabricado na mesma plataforma das novas gerações do Fiesta e do Ecosport, com entre-eixos semelhante. Além disso, o veículo dará mais "mimos" aos consumidores.

"Será um carro de classe mundial, com maior espaço interno, para cinco pessoas, com o melhor sistema de ar-condicionado do segmento e que poderá ser equipado com o Sync (sistema multimídia que equipa carros de categorias mais altas da montadora)", afirmou o diretor de desenvolvimento de produto da Ford na América do Sul, Matt O'Leary.

"Ainda não vamos dar detalhes, mas será o melhor da categoria em termos como qualidade, segurança, desempenho e consumo de combustível", disse o presidente da Ford Americas, Joseph Hinrichs, durante a apresentação do novo modelo.

Motor. A gama de motores que equipará o veículo também não foi divulgada, mas pelo menos um deles será fabricado na planta de Camaçari, a partir do ano que vem. Rumores não confirmados - nem desmentidos - pela direção da empresa indicam que se trata de um novo propulsor 1.0, com três cilindros.

"Será um motor completamente novo, que vai inaugurar um novo patamar para o segmento", limita-se a dizer Hinrichs. Especula-se também que o Sigma 1.5, que equipa o New Fiesta, possa ser usado nas versões mais caras.

Segundo os executivos da companhia, a nova fábrica de motores que a Ford está instalando no complexo da empresa em Camaçari deve começar a produzir até a metade do ano que vem. Será concluída na mesma época da ampliação da linha de montagem da empresa, que terá a capacidade de produção aumentada de 250 mil veículos por ano para 300 mil.

Os projetos, que vão consumir cerca de R$ 2 bilhões, integram o plano de investimentos da montadora para o País, de R$ 4,5 bilhões entre 2011 e 2015, dos quais R$ 2,8 bilhões na unidade baiana.

Herdeiro. A presença de Bill Ford no lançamento do conceito sinaliza a importância do projeto para a empresa. É a segunda vez que o presidente do conselho da Ford visita uma unidade brasileira. A primeira coincidiu com o lançamento da primeira geração do Ka, em 1997.

"Os carros compactos representam 60% do mercado global de automóveis. Este é um projeto de grande relevância para a Ford", disse O'Leary. "As projeções indicam um crescimento desse segmento em 35% entre 2012 e 2017, quando devem ser vendidos 6,2 milhões de veículos por ano dessa faixa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.