WILSON PEDROSA/26/10/2007
WILSON PEDROSA/26/10/2007

Ford retoma produção na Bahia e Fiat em Minas e Pernambuco

Montadoras estavam com as linhas de produção paradas por falta de peças que deixaram de ser entregues durante a greve dos caminhoneiros

Cleide Silva, O ESTADO DE S. PAULO

31 Maio 2018 | 18h31

Mais uma montadora, a Ford de Camaçari, na Bahia, retoma produção amanhã, depois de sete dias de paralisação. A fábrica produz os modelos Ka e EcoSporte  e opera em três turnos de trabalho. Segundo a empresa, todos eles serão retomados. Incluindo o pessoal das empresas de componenetes que operam no complexo, são cerca de 7,7 mil trabalhadores.

As unidades de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, onde são feitos o Fiesta e caminhões, e a de Taubaté, no interior de São Paulo, que produz motores devem voltar a produzir na próxima semana.

O grupo avalia hoje se retoma ou não as atividades nas duas fábricas na segunda-feira. A decisão depende da volta à normalidade do abastecimento de peças, prejudicado pela greve dos caminhoneiros.

Hoje, a Fiat também retomou atividades na fábrica de Betim (MG), e a Jeep na unidade de Goiana (PE). Grandes fabricantes de veículos, incluindo Volkswagen e General Motors também estão com fábricas paradas desde meados da semana passada.

Paralisação total. Na sexta-feira, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) informou que todas as montadoras estavam com suas linhas produtivas paradas. Ontem, a entidade divulgou que “a maioria das empresas retoma a produção de veículos, de maneira gradual, a partir de segunda-feira”.

Cálculos preliminares, com base no volume de produção diário de vendas em abril, indicam que cerca de 60 mil veículos deixaram de ser produzidos desde o início da greve.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.