Ford vai produzir produtos específicos para o Brasil

O presidente da Ford para as Américas, Mark Fields, disse no domingo ao Grupo Estado que a empresa pretende continuar crescendo no mercado brasileiro e que a compra da Troller, fabricante cearense de veículos especiais, faz parte dessa estratégia. A aquisição da empresa foi anunciada na última quinta-feira ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e está incluída em um programa de R$ 2,2 bilhões de investimentos para o período de 2007 a 2011."Temos cinco anos de crescimento de vendas e de participação no mercado e nossa rentabilidade no Brasil também é crescente", disse ele, após apresentar o novo Focus à imprensa no Salão Internacional do Automóvel da América do Norte. O novo modelo, na versão 2008, não será vendido no Brasil, que importa o produto da Argentina, onde, por enquanto, segue com o atual design."Estamos desenvolvendo produtos específicos para o mercado brasileiro", disse ele, ressaltando o grande sucesso do EcoSport, totalmente desenvolvido por engenheiros brasileiros. No fim deste ano, a Ford deve lançar o novo compacto - que será produzido em São Bernardo do Campo, na região do ABC paulista -, outro projeto da empresa que recebeu investimentos de R$ 300 milhões e que também está sendo projetado no próprio País.Segundo a direção da Ford no Brasil, os R$ 2,2 bilhões anunciados serão gastos principalmente em desenvolvimento de novos produtos e nas fábricas da Bahia e, agora, do Ceará.Fields disse que a empresa estuda a possibilidade de ampliar a fábrica de Camaçari (BA), que opera no limite da sua capacidade. A empresa, segundo fontes do mercado, queria obter do governo baiano novos incentivos fiscais para ampliar a fábrica, mas não conseguiu. Com a Troller, a Ford terá direito a incentivos adquiridos pela empresa brasileira. A montadora pretende melhorar o desenho do T4, jipe para uso fora-de-estrada, e também da picape Pantanal, que devem ser mantidos no mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.