Estadão
Estadão

Investimento das empresas tem a maior queda desde 1996

Formação Bruta de Capital Fixo recuou 11,9% no segundo trimestre do ano em relação ao mesmo período em 2014

O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2015 | 09h17

Empresas estão menos confiantes em investir no Brasil, sentimento que se confirmou no resultado da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) do Produto Interno Bruto (PIB) divulgado nesta sexta-feira. Tal componente do PIB sofreu contração de 11,9% no segundo trimestre em relação ao mesmo período em 2014, a maior queda desde o primeiro trimestre de 1996 (-12,7%).

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tal recuou é justificado, principalmente, pela queda das importações e da produção interna de bens de capital, e também pelo desempenho negativo da construção civil. A construção caiu 8,2% em relação ao segundo trimestre de 2014. A baixa foi ainda maior na comparação com o primeiro trimestre (-8,4%).

Em relação ao primeiro trimestre, a Formação Bruta de Capital Fixo recuou 8,1%. Ainda segundo o IBGE, a taxa de investimento (FBCF/PIB) ficou em 17,8% no segundo trimestre de 2015.

A queda da FBCF no segundo trimestre de 2015 ante o trimestre imediatamente anterior é a oitava seguida na comparação na margem. (Colaboraram Idiana Tomazelli, Mariana Durão e Vinicius Neder)

Tudo o que sabemos sobre:
investimentoPIBcriserecessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.