finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Formação de taxa ponderada pressiona o dólar

Apesar da expectativa de queda dos juros norte-americanos, o mercado acabou encontrando espaço para pressionar o dólar e, consequentemente, a Ptax - taxa ponderada - que será usada na rolagem dos contratos futuros de dólares que vencem amanhã na BM&F. Perto das 14h30, o dólar registrava alta de 0,20%, sendo cotado a R$ 1,9710 na venda.Seja qual for o tamanho do corte dos juros americanos que será decidido hoje à tarde, um analista consultado pela Agência Estado opinou que o Copom não deveria seguir o Fed. Isso porque, na visão desse profissional, juros mais baixos significariam mais gás para a economia e aumento das importações, piorando ainda mais o saldo da balança e trazendo pressão para o câmbio. Esta avaliação, no entanto, não é compatível com o comportamento dos juros brasileiros. Nesse mercado, as apostas continuam sendo de queda da Selic.A cassação da liminar que impedia o prosseguimento do leilão do SMP não está animando o mercado de dólares nesta 4ªF. De acordo um operador, os dólares provenientes do leilão da Banca C não devem necessariamente afetar pelo mercado. "Se o governo tem que pagar dívidas, pode muito bem fazê-lo com o Tesouro comprando os dólares que ingressarem com os leilões do celular", disse. De qualquer forma, a alta do dólar não é vista como um fator absolutamente negativo. Com o real desvalorizado, há a possibilidade de o governo conseguir atrair para o mercado os exportadores, o que seria benéfico para a balança comercial.

Agencia Estado,

31 de janeiro de 2001 | 15h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.