Formada em SP frente contra aumento do IR para serviços

A Associação Comercial de São Paulo e entidades da classe médica lançaram nesta tercá-feira a Frente Brasileira Contra a Medida Provisória 232. Editada no dia 30 de dezembro do ano passado, a MP beneficiou trabalhadores assalariados ao corrigir a tabela do Imposto de Renda (IR), mas aumentou a carga tributária de empresas prestadoras de serviço.Segundo o presidente da ACSP , Guilherme Afif Domingos, o principal objetivo da Frente é pressionar politicamente o Congresso Nacional para que todos os artigos da MP que não digam respeito à correção da tabela do IR sejam transformados em projeto de lei. " O governo fez uma reforma tributária sem discutir com a sociedade" disse Domingos.Representantes de todos os setores de serviço, como engenheiros, arquitetos, advogados, entre outros, serão convocados para participar de uma reunião no Sindicato das Empresas de Contabilidade (Sescon) no dia 27. Na reunião serão acertados os detalhes de uma grande manifestação que a frente pretende realizar no dia 15 de fevereiro no Clube Esperia em São Paulo. A data coincide com a reabertura do Congresso Nacional.O presidente do Conselho Federal de Medicina, Roberto DÁvila,afirmou que o aumento da base de contribuição da CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido) e do Importo de Renda (IR) das empresas prestadoras de serviço - que passou de 32% para 40% - irá ter reflexo no atendimento à população.Empresários articulam manifestação para marçoEmpresários e parlamentares devem realizar na primeira semana de março, em Brasília, uma grande manifestação em repúdio à MP. O movimento foi acertado durante reunião que realizada na Câmara dos Deputados, com representantes de empresas de prestação de serviço e profissionais liberais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.