Fornecedores da Fiat querem flexibilização

Quinze indústrias do setor automobilístico, fornecedoras da Fiat, convocaram uma reunião com o sindicato dos metalúrgicos para discutir a flexibilização dos contratos de trabalho. As empresas alegam dificuldades com a crise global. A reunião será realizada na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) na próxima semana, em data ainda não confirmada. A direção do sindicato dos metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas concordou com a reunião. Mas já avisou que acha prematuro discutir qualquer suspensão de direitos trabalhistas em troca de manutenção dos empregos. O diretor Edigar Lopes ressalta o fato de a Fiat ter fechado 2008 com crescimento das vendas em relação a 2007. Segundo dados da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), as vendas da montadora cresceram 14,5% em 2008 na comparação com o ano anterior. Para Lopes, esse dado mostra que ainda não há motivo para falar em flexibilização dos contratos de trabalho. Na segunda-feira, retornaram ao trabalho os últimos 3 mil operários da Fiat que ainda estavam em férias coletivas. A assessoria de imprensa da montadora informou que não há previsão para ajustes de pessoal, seja com demissões ou férias coletivas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.