Daniel Teixeira/ Estadão
Daniel Teixeira/ Estadão

Fortaleza realiza força-tarefa para facilitar a distribuição de combustível

Cerca de 150 escoltas policiais de caminhão-tanque foram realizadas com o objetivo de abastecer postos de combustíveis, garagens de empresas de ônibus e aeroportos

Lauriberto Braga, De Fortaleza

27 Maio 2018 | 09h39

FORTALEZA - As ações coordenadas pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) durante este fim de semana vêm possibilitando a distribuição de combustíveis em Fortaleza e em cidades da região metropolitana e do interior do Estado. A greve dos caminhoneiros chega ao sétimo dia neste domingo, 27.

+++ Caminhoneiros pedem que desconto de 10% do preço do diesel se estenda a 60 dias

Cerca de 150 escoltas policiais de caminhão-tanque foram realizadas com o objetivo de abastecer postos de combustíveis, garagens de empresas de ônibus - o que garantiu que o transporte público não fosse afetado na capital e na região metropolitana -, além do Aeroporto Internacional Pinto Martins, a fim de evitar interrupção das operações aéreas.

Os serviços de emergência do Ceará, que utilizam veículos para operar, como ambulâncias, viaturas policiais e do Corpo de Bombeiros, não sofreram qualquer interrupção.

+++ Pelo menos 14 aeroportos estão sem combustível em razão da greve dos caminhoneiros

+++ Saiba como será o funcionamento de serviços essenciais na capital paulista neste fim de semana

Entre as ações de destaque da operação realizadas por todo o dia, estão o apoio a saída de caminhões no Porto do Mucuripe; a desobstrução do acesso à distribuidora de combustível de Crato, que abastece a Região do Cariri, o desbloqueio da BR-304, em Aracati, e o trabalho realizado em outros pontos de bloqueio.

Além dos batalhões de Polícia de Choque (BPChoque), de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), de Polícia Rodoviária Estadual (BPRE) e de Policiamento Turístico (BPTur), da Força Tática (FT) e Regimento de Polícia Montada (RPMont) da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros Militar - vinculadas a SSPDS - atuam na operação, que segue durante este domingo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania de Fortaleza (AMC) e a Guarda Municipal de Fortaleza. Esses órgãos com o Exército Brasileiro mantêm representantes no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que foi ativado para o gerenciamento das atividades.

+++ Estradas têm pelo menos 580 bloqueios em razão de greve dos caminhoneiros

Taxistas

Cerca de 1,4 mil da frota de 4,8 mil táxis de Fortaleza estão parados com a greve dos caminhoneiros. O presidente do Sindicato dos Taxistas de Fortaleza, Vicente de Paula Oliveira, informa que se o abastecimento de Gás Natural Veicular (GNV) não foi normalizado, toda frota estará 100% parada anesta segundda-feira, 28. Aproximadamente 60% da frota usa GNV. Os 40% restantes usam gasolina e álcool que também estão em falta em Fortaleza. Os 75% dos táxis que estão rodando fazem monitoramento dos postos que ainda têm combustíveis na Grande Fortaleza através de grupos de WhatsApp. 

Cariri

A ViaMetro, que atende quatro cidades do Cariri Cearense (Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha e Missão Velha) está racionando o diesel dos seus ônibus e desde sábado, 26, só manda para as ruas a metade da frota de 200 ônibus. A ViaMetro atende diariamente nos quatro municípios 42mil passageiros. No Crato, o dono de posto FP Petróleo, Carlos Henrique Torquato foi conduzido à Polícia Federal de Juazeiro por desacato à autoridade. Ele levantou a voz contra um policial militar que liberava quatro caminhões-tanque para abastecer os grandes postos do Crato. Torquato, dono de um pequeno posto, reclamou e foi detido. 

Mais conteúdo sobre:
caminhoneirogreveFortaleza [CE]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.